Maçonaria Feminina

A primeira mulher maçom Conhecida no século 18 como a “senhora maçom”, a irlandesa Elizabeth St. Leger foi a primeira mulher a ser iniciada na maçonaria, aos 20 anos de idade. Tudo aconteceu depois que ela foi flagrada espionando uma reunião maçônica presidida por seu pai, que, sem saber ao certo o que fazer, a acolheu dentro da irmandade. No entanto, com o passar do tempo, Leger acabou expulsa e tornou-se um ícone apenas para as instituições independentes.

Não reconhecidas, mas praticantes ativas.

No Brasil, a esteticista Lilian Buso Fernandes, 52 anos, que foi membro em uma loja mista, se diz influenciada por esse movimento. “Hoje estou afastada, mas fiquei na ordem por quase 30 anos e pude vivenciar a maçonaria em sua plenitude”

“As mulheres não só são disciplinadas e compromissadas com os encontros e projetos, como têm acesso aos segredos da maçonaria e sabem guardá-los”, revela. Além disso, diferentemente do que ocorre na maçonaria tradicional, em que o homem precisa pedir a autorização da esposa para participar da ordem, na mista ou feminina a mulher é livre para tomar suas próprias decisões….

 

vice-gra-mestre-da-maconaria-feminina-e-sua-gra-mestra-assistente-em-um-templo-macom-nao-oficial-1523040828924_v2_300x420

~ por esquadroecompasso33 em 31/07/2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
Bruxo de Lua

"Ambularet per pænumbra."

Bnei Baruch Monterrey

Auténtica Sabiduría de la Kabbalah

symbolreader

Sharing My Love of Symbols

Sinagoga Ohel Jacob e Comunidade Hehaver

Site oficial sinagoga Ohel Jacob. Judaísmo Liberal em Lisboa. Única sinagoga askenazi em Portugal, 1934. Visitas guiadas, shabat e celebração de festividades.

Cabala sem Fronteiras

by Vinícius Oliveira

Selo 144

A VERDADE UNILATERAL

%d blogueiros gostam disto: