O SILÊNCIO COMO CATALISADOR DOS SEGREDOS E MISTÉRIOS NA INICIAÇÃO

Existe uma interessante relação etimológica entre os termos iniciação, mistérios, segredos e silêncio.

Desde que o ser humano deixou de ser nômade, após o desenvolvimento da agricultura e das primeiras civilizações, surgiram as chamadas comunidades místicas, que tentavam interpretar os fenômenos naturais através de teorias esotéricas.

Por derivação destas, na sequência, apareceram as sociedades iniciáticas.  

A admissão a estas instituições ocorria a partir de um ritual de passagem, conhecido como iniciação, palavra que deriva do latim, significando a aquisição de novos conhecimentos restritos às pessoas em geral. 

Nas sociedades iniciáticas, durante as cerimônias de iniciação, para aqueles que eram convidados a participar, eram revelados os mistérios, ou seja, as condutas, princípios e métodos de trabalho que não podiam ser de conhecimento livre do restante da comunidade. 

Mistério é um termo que vem do grego, que se traduz por “boca fechada” em relação a algo que é conhecido por poucos e estranho à maioria das pessoas. 

Estes ensinamentos, repassados aos iniciados, eram classificados como segredos. 

Esta palavra se origina do latim, que denomina aquilo que deve ser tratado em separado, ou seja, que não integra o universo de conhecimento geral. 

Segredo é tudo que se deve ocultar dos que não apresentam condições morais ou intelectuais para conhecê-los, e que assim pode ser mal interpretado por estas pessoas despreparadas. 

Segredo é tudo que outros não sabem sobre nós, ou que pelo menos não deveriam saber, se respeitarmos o sentido do vocábulo. 

Percebemos que os significados de iniciação, mistérios e segredos são equivalentes e complementares. 

Por isso mesmo devem apresentar um elemento comum, com agente de união, que possibilita a simbiose de todos estes sentidos, convergindo-os para um foco comum. 

Este catalisador é o Silêncio, pois se trata de elemento essencial à guarda destes segredos, à preservação dos mistérios e da tradição presente nos rituais de Iniciação. 

Publicado no Boletim Academus, de abril de 2019, disponível em https://bancadosbodes.com.br/academus-abril-2019/

~ por Banca dos Bodes em 08/06/2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
Bruxo de Lua

"Ambularet per pænumbra."

Bnei Baruch Monterrey

Auténtica Sabiduría de la Kabbalah

symbolreader

Sharing My Love of Symbols

Sinagoga Ohel Jacob e Comunidade Hehaver

Site oficial sinagoga Ohel Jacob. Judaísmo Liberal em Lisboa. Única sinagoga askenazi em Portugal, 1934. Visitas guiadas, shabat e celebração de festividades.

Banca dos Bodes

Revistas, Jornais, Boletins e Livros Maçônicos

Cabala sem Fronteiras

by Vinícius Oliveira

Selo 144

A VERDADE UNILATERAL

%d blogueiros gostam disto: