um pedido de desculpas oficial.

•02/07/2017 • Deixe um comentário

Tenho sido muito tolerante no Blog, tolerante no mau sentido, tenho passado a mão na cabeça de muito marmoteiro, gente que passa conceitos errados e conhecimento errado a diante para encaixar todo um valor dentro daquilo que sua moral estipula como certo, isso não é bacana, isso vai criar iniciados tortos, mesmo eu tendo deixado claro para duvidar de tudo que se é escrito aqui, parece que as pessoas não aprendem, elas não são ceticas o suficiente para viver com saude em meio tão doente e imbecilizado quanto o meio iniciatico, o youtube está cheio de elementos assim, vendedores de ilusão, lamento o tempo perdido, todos nos perdemos muito tempo nessa busca insana pela verdade.

Eliphas Levy-Falhou

Allan Kardec-Falhou

Akhenaton- Falhou

Blavatsky- Falhou

Albert Pike- Falhou

Papus- Falhou

Crowley- Falhou

Franz Bardon- Falhou

Você que usa envenamento mental- você falhou

Você que não joga limpo- Você Falhou.

A corrupção tornou tudo mundano, eu sinto muito, mas leia tudo com a consciencia de que é algo desatualizado e decaido.

Ao invés de criar escolas de iluminação os homens criam mafias,criam verdadeiras gangues espirituais, o planeta terra é uma cadeia, um presidio, no fim tudo se resume a controle ou não ser controlado.

links quebrados no blog.

•02/07/2017 • Deixe um comentário

você provavelmente deve ter reparado que muitos links para potencias maçônicas ditas irregulares estão fora do ar, isso é muito comum, o ciclo de vida dessas potencias é muito curto, como eu tinha mencionado no texto “porque a maçonaria mista não vai pra frente no Brasil”, só que agora tem me ocorrido o seguinte…potências mistas mais velhas estão auxiliando a maçonaria masculina a sabotar as potencias mistas mais jovens, por isso elas duram tão pouco, e duram pouco mesmo, tanto as irregulares masculinas quanto as irregulares femininas, a maçonaria que se auto-intitula regular usa até mesmo de seu nefasto poder mediante o judiciario/policia/executivo para detonar as lojas recem criadas, estão todos a mercê.

Não vou repor os links vou deixar assim como uma prova do jogo sujo de poder dentro das “sagradas” ordens iniciaticas.

Pagina do facebook trata de cabala judaica autentica.

•10/06/2017 • Deixe um comentário

Uma pagina do facebook tem explorado a cabala pura, postando videos do grande rabino cabalista Dudu Levinzon.

a pagina expressa o seguinte sobre sí

“Como no Brasil a cabalá é difundida com elevada carga de elementos não-judaicos e elementos equivocados, criou-se este blog para tratar de Cabalá Autêntica”

https://cabalapelotas.wordpress.com/

https://www.facebook.com/cabalistasdebombacha/

qual a opinião de vocês sobre esse texto?

•10/06/2017 • 6 Comentários

Não há aquele registro certo pelo qual começar, muito menos pelo qual terminar, pois a totalidade de situações que levaram a Maçonaria brasileira ao cenário de hoje, e que embasam o raciocínio aqui apresentado, não somente estouraria a quantidade máxima de caracteres recomendada a um pequeno artigo, como explodiria até mesmo a mais extensa das enciclopédias.

Assim, na certeza de que fatos importantes ficarão de fora, dar-me-ei a liberdade de citar apenas alguns, mais recentes e, por isso, frescos na memória, como meio de ilustrar o raciocínio a ser apresentado.

O conceito mais comum de maçonaria é a de que é um “belo sistema de moralidade”. Em outras palavras, uma escola de moral e ética social. Essa escola possui princípios muito bem determinados e regras internacionais que separam o joio do trigo e garantem certa universalidade entre os homens teístas de bem. Ou seja, homens que creem em Deus e são dignos e idôneos, independente de raça, credo, ideologia política e classe social. É por essa razão que praticamente todos os rituais, na parte dedicada ao escrutínio, alerta aos irmãos para não votarem baseados em diferenças pessoais e preconceitos, mas única e exclusivamente na moral apresentada pelo candidato. É difícil? Sim. Mas é o certo, principalmente em se tratando de uma escola de moral na qual os membros buscam vencer suas paixões, vícios e preconceitos.

Nos últimos anos, temos observado os muros levantados por uma obediência maçônica no Brasil perante outras, mesmo após décadas de convívio relativamente fraterno. As atitudes de seus dirigentes levaram, depois de alguns lamentáveis episódios no exterior abafados no Brasil, no recente escândalo de seus ostracismos da única confederação maçônica relevante em todo o continente americano. A justificativa do Grão-Mestre a seu povo maçônico é de que está apenas seguindo as leis maçônicas de sua obediência. No entanto, em nenhum trecho de todo o arcabouço legal daquela obediência há uma determinação para que seus dirigentes promovam ofensivas contra obediências não-reconhecidas em suas viagens ao exterior. Se não quer, não as reconheça… mas não precisa persegui-las. Não há justificativa legal para isso, muito menos moral.

Essa mesma obediência é a que contava em seus quadros com José Roberto Arruda, que, enquanto Senador da República, renunciou por ter adulterado o painel de votação do Senado. Arruda posteriormente entrou para a história como o primeiro Governador a ser encarcerado durante o mandato, e foi cassado por conta do chamado “mensalão do DEM”. Foi expulso? Não. Recebeu o Quite Placet para retornar num futuro próximo.

Também é dessa obediência o “irmão” Gim Argello, ex-Senador da República condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, e que responde a outros processos por apropriação indébita, peculato e organização criminosa. Expulso? Também não.

E o triângulo fraterno-político dessa obediência pode ser completado por Roberto Jefferson, deputado-federal que teve seu mandato cassado e direitos políticos suspensos por 8 anos, considerado o pai do mensalão, por ter sido o primeiro a delatá-lo. Foi condenado na justiça por corrupção e lavagem de dinheiro. Expulso? Não. E, ao que parece, em breve regularizado.

E não se pode deixar de mencionar o “irmão” Michel Temer, da mesma obediência, atualmente “adormecido”, atual Presidente da República que foi recentemente flagrado em atitudes um tanto quanto questionáveis. Ele somente não formou um “quadrado” com os demais neste artigo porque (pelo menos, ainda) não é um criminoso condenado que experimentou noites aprisionado, como os anteriores mencionados.

Em vez de gastar o dinheiro pago pelos irmãos em viagens para o exterior com fins de promover campanhas contra o reconhecimento de outras obediências brasileiras… em vez de apontar o dedo para os outros… não seria melhor olhar para si mesmo e retificar-se? “Limpar a casa”? VITRIOL.

Porém, esse namoro maçônico com a política profana não é exclusividade dessa obediência no Brasil. Desde o período de campanha eleitoral de 2014 venho alertando para uma infração generalizada na Maçonaria brasileira, cometida por diversas obediências, independente de vertente.

É importante esclarecer que, em 1938, a Grande Loja Unida da Inglaterra publicou, em conjunto com as Grandes Lojas da Escócia e da Irlanda, “The Aims and Relations of the Craft”, uma declaração dos princípios fundamentais que serve de base para o reconhecimento da regularidade de prática de outras obediências. O item 6 dessa declaração registra claramente que:

Enquanto a Maçonaria inculca em cada um dos seus membros os deveres de lealdade e de cidadania, reserva-se ao indivíduo o direito de ter sua própria opinião em relação a assuntos políticos. Entretanto, nem em uma Loja, nem a qualquer momento em sua qualidade de maçom, lhe é permitido discutir ou fazer promover seus pontos de vista sobre questões teológicas ou políticas”.

Assim como essas, outras importantes Grandes Lojas pelo mundo têm regras explícitas e severas contra o envolvimento político da maçonaria. A Grande Loja Nacional Francesa – GLNF, por exemplo, já fora duramente punida, tendo perdido reconhecimentos e caído em um “ostracismo” maçônico a nível internacional por ter se aventurado em emitir opiniões políticas (uma carta aberta em apoio a um candidato a presidência, publicada em 2010). Foram anos para reverter o estrago e retomar os reconhecimentos que havia perdido.

No entanto, a maçonaria brasileira não foi capaz de aprender com os erros das outras. No período de campanha eleitoral de 2014, várias foram as obediências que se manifestaram publicamente, em alguns casos em cartas abertas como a da GLNF, em apoio ao Aécio Neves, então candidato a Presidência da República, e recentemente afastado do Senado e investigado por diversos crimes, graças às gravações e delações dos gestores da JBS.

Esse comportamento pode ser explicado, mas não justificado, pelo fato de que muitas lideranças maçônicas possuem filiações, interesses e até mesmo pretensões políticas. E muitos são os irmãos que apoiam tais manifestações, colocando suas opiniões políticas individuais acima dos princípios maçônicos institucionais, porque alimentam a vaidade de ostentar a crença imaginária de que a maçonaria tem peso e influência política nacional. No fundo, sabemos que não tem.

Estas últimas afirmações são claramente sustentadas pela quantidade de lideranças que, ao final de seus mandatos maçônicos, candidatam-se a cargos públicos; pelas inúmeras palestras e escritos de intelectuais da maçonaria em defesa de que a mesma assuma posição de elite estratégica brasileira; e pela formação de grupos maçônicos de ação política, que não conseguem reunir algumas centenas de irmãos, mas se vangloriam da eleição de meia dúzia de vereadores e um ou outro prefeito maçom, que obviamente não foram eleitos por tais iniciativas ou por suas condições de maçons.

Então, pelo menos no que tange ao ativismo político, não há como distinguir o que é pior. Pois, sendo a maçonaria essa “escola de moral e ética social”, enquanto a iniciação e não-expulsão de políticos corruptos fere a moral; a manifestação a favor deste ou daquele candidato (nesse caso, também corrupto) é maçonicamente ilegal, ferindo assim a ética social.

Enfim, já que não fomos capazes de aprender com os erros das outras, que possamos dessa vez aprender com nossos próprios erros. No próximo ano haverá novo período eleitoral. Mesmo que a maioria dos irmãos de uma obediência seja a favor de determinado candidato, vençamos nossas paixões em respeito àqueles que foram, são ou um dia serão irmãos e têm o direito de pensarem diferente e de terem suas opiniões respeitadas. O princípio da universalidade ideológica na Maçonaria não pode ser ferido de morte. E assim também prevenimos que nossas obediências não sejam apontadas como apoiadoras ou até mesmo abrigo de corruptos, e expostas ao ridículo.

Os Sikhs

•03/06/2017 • Deixe um comentário

Ah o misterioso cósmico.

•25/03/2017 • 2 Comentários

Há algum tempo atrás eu pertencia a uma ordem iniciatica em………….., um grupo pequeno e coeso de pessoas que há muito faziam parte da ordem aqui citada, não vou dizer nomes, bom a ordem deles não crescia no numero de membros, sempre a mesma quantidade, eles diziam que era assim porque era da vontade do “além”, bom, talvez negligenciassem o fato da ordem ficar isolada no meio de um bairro barra pesada mas segue o baile, o interesse de muitos, era levar a ordem para uma zona colonial(agricola), ou seja afastar mais ainda do centro da cidade a ordem, agora lhes pergunto para que?
clube exclusivista, os alto iniciados, um circulo masturbatorio do ego, fazendo assim uma realidade onde qualquer um desista de participar para que cada dia mais, quanto mais pessoas deixarem de ir, mais eles se sintam especiais, os eleitos, os perfeitos, fica ai a critica pra esse tipo de posicionamento.

Shem HaMephorash

•17/01/2017 • 4 Comentários

O Shem HaMephorash (em hebraico: שם המפורש, alternativamente Shem ha-Mephorash ou Schemhamphoras) é um termo originalmente Tannaitico(Foram os sábios rabínicos cujas opiniões são registradas na Mishnah), descrevendo um nome oculto de Deus na Cabala (“incluindo” variantes cristãs e herméticas) e em alguns discursos judaicos mais comuns. É composta por 4, 12, 22, 42 ou 72 letras (ou tríades de letras), sendo a última versão a mais comum.

Maimônides achava que o Shem ha-Mephorash era usado apenas para o Tetragrammaton de quatro letras.

Uma variante de 12 letras aparece no Talmud, embora fosse desconhecida na Kabbalah posterior e completamente ausente da magia judaica.

Uma variante de 22 letras é escrita pela primeira vez em Sefer Raziel HaMalakh,  sem interpretação, como אנקתם פסתמ פספסים דיונסים (provavelmente transliterado como Anaktam Pastam Paspasim Dionsim). Suas origens são desconhecidas, sem conexão com hebraico ou aramaico sendo encontrado, e nenhum acordo sobre qualquer origem particular grego ou zoroastriano. Há precedentes Geonicos para o nome, indicando que o nome é mais velho que Sefer Raziel.

Uma variante de 42 letras foi descrita por Hai Gaon como אבגיתץ קרעשטן נגדיכש בטרצתג חקבטנע יגלפזק שקוצית. Ele escreveu: “Embora as consoantes deste nome sejam bem conhecidas, sua própria vocalização não é traduzida pela tradição. Alguns pronunciam sua primeira parte Abgitaẓ, e outros Abigtaẓ, ea última parte às vezes é lida Shakvaẓit, e às vezes Shekuẓit, mas não há Prova definitiva “. Esta variação na pronúncia foi entendida por Joshua Trachtenberg para indicar que esta versão é bastante antiga, as vogais em hebraico sendo facilmente perdido ao longo do tempo. É, por algum meio, derivado das primeiras 42 letras da Bíblia hebraica.  Como o nome de 22 letras, ele é encontrado em Sefer Raziel.

O “nome de 72 formas” é altamente importante para Sefer Raziel,  e um componente chave (mas muitas vezes faltando) para as práticas mágicas em The Lesser Key of Solomon(A chave menor de salomão). Ele é derivado de Êxodo 14: 19-21,  para produzir 72 nomes de três letras. Este método foi explicado por Rashi, (b Sukkah 45a).  As lendas cabalistas e ocultistas afirmam que o nome de 72 formas foi usado por Moisés para atravessar o Mar Vermelho, e que pode conceder aos holímos mais tarde o poder de controlar demônios, curar os doentes, prevenir desastres naturais e até mesmo matar inimigos.( ver aquele texto que eu escrevi sobre goetia)

O nome de 72 vezes é mencionado por Roger Bacon, que se queixou de um livro intitulado Liber semamphoras, mais especificamente a corrupção linguística que ocorreu em traduzir hebraico para latim. Os anjos do Shemhamphorash influenciaram fortemente a cosmologia de Johann Reuchlin influenciando Heinrich Cornelius Agrippa  e Athanasius Kircher.  Thomas Rudd apresentou os 72 anjos em sua magia, como uma força de equilíbrio contra os espíritos malignos do Ars Goetia ou isoladamente.  O material de Rudd no Shemhamphorash foi mais tarde copiado e expandido por Blaise de Vigenère, cujos manuscritos foram por sua vez usados por Samuel Liddell MacGregor Mathers em suas obras para a Ordem Hermética da Golden Dawn.(A coisa DECAI de uma forma ridicula)[como o goy caga tudo que toca]

Anjos de Shemhamphorash

Anjo.
Anjo comandado(por Ambelain) Ordem (porAmbelain)[13] Verso Invocátorio Demonio comandado (por Rudd)
1. Vehuiah Metatron Seraphim Psalms 3:3 Bael
2. Jelial Metatron Seraphim Psalms 22:19 Agares
3. Sitael Metatron Seraphim Psalms 91:2 Vassago
4. Elemiah Metatron Seraphim Psalms 6:4 Gamigin
5. Mahasiah Metatron Seraphim Psalms 34:4 Marbas
6. Lehahel Metatron Seraphim Psalms 9:11 Valefar
7. Achaiah Metatron Seraphim Psalms 103:8 Aamon
8. Cahetel Metatron Seraphim Psalms 95:6 Barbatos
9. Haziel Jophiel Cherubim Psalms 25:6 Paimon
10. Aladiah Jophiel Cherubim Psalms 33:22 Buer
11. Lauviah Jophiel Cherubim Psalms 18:46 Gusion
12. Hahaiah Jophiel Cherubim Psalms 10:1 Sitri
13. Iezalel Jophiel Cherubim Psalms 98:4 Beleth
14. Mehahel Jophiel Cherubim Psalms 9:9 Leraje
15. Hariel Jophiel Cherubim Psalms 94:22 Eligor
16. Hakamiah Jophiel Cherubim Psalms 88:1 Zepar
17. Lauviah Zaphkiel Tronos Psalms 8:9 Botis
18. Caliel Zaphkiel Tronos Psalms 35:24 Bathin
19. Leuviah Zaphkiel Tronos Psalms 40:1 Saleos
20. Pahaliah Zaphkiel Tronos Psalms 120:1-2 Purson
21. Nelchael Zaphkiel Tronos Psalms 31:14 Morax
22. Ieiaiel Zaphkiel Tronos Psalms 121:5 Ipos
23. Melahel Zaphkiel Tronos Psalms 121:8 Aim
24. Haniniah Zaphkiel Tronos Psalms 33:18 Naberus
25. Nilaihah Zadkiel Dominios Psalms 9:1 Glasya-Labolas
26. Haaiah Zadkiel Dominios Psalms 119:145 Bune
27. Ierathel Zadkiel Dominios Psalms 140:1 Ronove
28. Seehiah Zadkiel Dominios Psalms 71:12 Berith
29. Reiiel Zadkiel Dominios Psalms 54:4 Astaroth
30. Omael Zadkiel Dominios Psalms 71:5 Forneus
31. Lecahel Zadkiel Dominios Psalms 71:16 Foras
32. Yasariah Zadkiel Dominios Psalms 33:4 Asmodeus
33. Ieuiah Kamael Poderes Psalms 94:11 Gaap
34. Lehahaiah Kamael Poderes Psalms 131:3 Furfur
35. Chavakiah Kamael Poderes Psalms 116:1 Marchosias
36. Menadel Kamael Poderes Psalms 26:8 Stolas
37. Aniel Kamael Poderes Psalms 80:3 Phenex
38. Haamiah Kamael Poderes Psalms 91:9 Halphas
39. Rehael Kamael Poderes Psalms 30:10 Malphas
40. Ieiazel Kamael Poderes Psalms 88:14 Raum
41. Hahael Raphael Virtudes Psalms 120:2 Focalor
42. Mikael Raphael Virtudes Psalms 121:7 Vepar
43. Veualiah Raphael Virtudes Psalms 88:13 Sabnock
44. Ielahiah Raphael Virtudes Psalms 119:108 Shax
45. Sealiah Raphael Virtudes Psalms 94:18 Vine
46. Ariel Raphael Virtudes Psalms 145:9 Bifrons
47. Asaliah Raphael Virtudes Psalms 92:5 Vual
48. Mihael Raphael Virtudes Psalms 98:2 Haagenti
49. Vehuel Haniel Principados Psalms 145:3 Crocell
50. Daniel Haniel Principados Psalms 145:8 Furcas
51. Hahasiah Haniel Principados Psalms 104:31 Balam
52. Imamiah Haniel Principados Psalms 7:17 Allocer
53. Nanael Haniel Principados Psalms 119:75 Caim
54. Nilhael Haniel Principados Psalms 103:19 Murmur
55. Mehaiah Haniel Principados Psalms 102:12 Orobas
56. Poiel Haniel Principados Psalms 145:14 Gremory
57. Nemamiah Michael Arcanjos Psalms 115:11 Ose
58. Ieialel Michael Arcanjos Psalms 6:3 Auns
59. Harael Michael Arcanjos Psalms 113:3 Orias
60. Mitzrael Michael Arcanjos Psalms 145:17 Vapula
61. Umahel Michael Arcanjos Psalms 113:2 Zagan
62. Iahhel Michael Arcanjos Psalms 119:159 Valac
63. Ananel Michael Arcanjos Psalms 100:2 Andras
64. Mehriel Michael Arcanjos Psalms 33:18 Flauros
65. Damabiah Gabriel Anjos Psalms 90:13 Andrealphus
66. Manakel Gabriel Anjos Psalms 38:21 Cimeries
67. Eidel Gabriel Anjos Psalms 37:4 Amduscias
68. Hahniah Gabriel Anjos Psalms 106:1 Belial
69. Rochel Gabriel Anjos Psalms 16:5 Decarabia
70. Jabamiah Gabriel Anjos Genesis 1:1 Seere
71. Haiaiel Gabriel Anjos Psalms 109:30 Dantalion
72. Mumiah Gabriel Anjos Psalms 116:7 Andromalius
 
Cabalistas de bombacha

Shalom Aleichem! Seja bem vindo, aqui estudaremos textos e vídeos de diversos Rabinos,focando na Cabalá Judaica tradicional, também abordaremos os costumes e a religião Judaíca.

O CAMINHO DO XAMÃ

Arte, Magia e Desenvolvimento Pessoal

Portalfisica.com

Portal acadêmico de apoio às aulas Presenciais - Prof. Hans Dpto Física -UFSM

conspiro-net

Beyond Conspiracy,Beyond Reality

Meio Mago

Transmute-se...

polluti labia

ANATOMIE DE L'ENFER

Quantum Web

Tecnologia da Informação

%d blogueiros gostam disto: